a miseria da alma

abri a cartera e nao encontrei nada

documentos alguns cartoes de banco transporte um plano de saude vencido da antiga empresa cartoes de visita de pessoas como um cara que conserta geladera e o tio delegado de um amigo dinhero pouco pouquissimo o suficiente pra compra um pastel e um refri pequeno mas nao era isso que eu procurava

nao sei o que eu procurava admito mas vai que eu achasse como eu queria uma boa surpresa acontecendo na minha vida

esqueci o celular em casa e é como se faltasse uma parte de mim uma parte grande ou como se eu tivesse pelado se alguem me ligar pode fica preocupado

meu dia promete como todos os outros promete ser uma bosta a pressao vai me esmaga e a melhor parte do meu dia é quando to no banhero batendo punheta

isso ninguem tira de mim

olhando as pessoas na rua eu penso se elas sabem o que tao fazendo ou apenas vao seguindo a mare vao dexando as escolhas ou a falta delas fude com a vida e se tem mais alguem tentando ajuda las ou mesmo com pena como eu to daquele senhor parado na sinalera com uma perna bizarra alguma doença degenerativa provavelmente mendigando moedas eu queria muito ajuda ele e quando digo ajuda é faze mais do que da um troco mas eu acabo nem chegando perto e continuo caminhando

caminho o dia inteiro e nao entro em nenhum lugar eu vou chegar o mais longe possivel de qualquer chance de esbarra com algum conhecido e quem sabe nem saia mais daqui

que pena que esqueci meu celular preciso volta pra casa e caminho tudo de novo pensando em mil coisas as mais distintas possiveis vai me falta o que pensa com tanto que preciso atravessa

nenhum conhecido na rua nenhum cumprimento nenhuma palavra se eu fosse uma pedra talvez fizesse mais diferença no mundo

no meu celular quando finalmente chego em casa e pra minha surpresa nenhuma chamada nenhuma mensagem so uns 5000 aviso de grupos do whatsapp que eu parei de acompanha quando tive o minimo de decencia e desprendimento

to acorrentado dentro de casa e penso em fica aqui pra sempre no meu quarto escuro tocando violao que eu toco mal e cantando baixinho que eu canto mal vo escreve nas paredes e talvez me encontrem aqui e pensem que sou um grande genio e procurem toda minha vasta obra e nada encontrem fora algumas linhas anotadas a mao de pensamentos que voaram e perderam folego antes de cairem na minha mente

eu queria fala com alguem eu preciso fala com alguem mas eu nao tenho com quem fala eu acabo na internet e passo horas ali perdendo tempo e me mantendo vivo me sentindo mal e inutil

faça alguma coisa que te de orgulho me falaram uma vez

eu tenho orgulho ate hoje do meu recorde no jogo da minhoca eu simplesmente fiz ela completa praticamente toda a tela com seu corpo enorme e tambem tenho orgulho de quando pintei minha parede de branco e escondi as infiltracoes que escorrem por tudo e de ter assistido todos filme de heroi que passaram no cinema nos ultimos oito anos todos no meu computador é verdade eu tenho orgulho de tudo isso quem nao teria

filho seu pai é foda pode conta pros teus neto que eu fiz tudo isso

nao tenho filhos e nem namorada nem nunca tive alguma confiavel no maximo algum caso estupido que durou o tempo suficiente pra ela nao me conhece direito e descobri que eu nao sou apenas timido e fechado como tambem incapaz de qualquer gesto de amor

é final de semana e finalmente eu nao tenho nada pra faze quero que alguem me salve com seu amor e me tire daqui e me leve para algum lugar incrivel de preferencia bem longe e diferente eu quero tudo que nao posso ter porque nao tenho nem coragem de tenta e me culpo de ser tao dramatico

enquanto minha prosa continua porca e minha bipolaridade nao me salva a terapia se encontra numa churrascaria gastando o dinhero que nao tenho azar

maminha picanha entrecot costela ovelha maionese cerveja costela de porco queijo goiabada eu me entupo e quando o menino negro vem servi salsichao e galeto eu agradeço

um senhor do meu lado que eu ja reparava na sua grossura ao come como um animal e se limpa espalhando farinha na cara gritou o negrao eu ja falei que nao quero essas merda voce é surdo por acaso

a churrascaria é barulhenta e esse comentario nao mudo sua rotina os outros tambem comem como animais mas eu nao esqueci da cara daquele homem

na hora que levantei pra usa o banhero escutei ele reclamando mais uma vez agora com outro garçon o das bebida esse negro de voces é bicho burro é surdo mandem ele de volta pro zologico

nao aguentei

o sujeito que servia a picanha passava perto de mim e num gesto relampago peguei o facao em dois passos eu tava atras daquele homem cutuquei no seu ombro ele olho pra mim dei uma cusparada na sua face e cravei a faca no seu peito

ela nao perfurou tao fundo como eu gostaria mas deve ter feito um grande estrago nao fiquei pra paga a conta tentaram me conter em vao nao fizeram grande esforço assustados com o que acabaram de me ve fazer

caminhei caminhei e caminhei e continuei inquieto fiquei com sede de justiça decidi coloca mais decencia no mundo meu proximo alvo nao podia demora fiz tocaia na praça perto do meu predio pois sabia que alguem seria assaltado quando uma senhorinha berando os 70 anos se aproximo vi que era o alvo perfeito e em poucos segundos um larapio esguio aparece com as maos pra dentro do moletom canguro e encosta do lado dela antes de fala qualquer coisa dou uma voadora nos seus peito derrubo ele no chao e chuto muito sua cara a senhora pede para

saio dali mas nao vo descansa

ainda tem coisa pior pra resolve sim o calotero que deu um golpe no meu pai e fez ele morre de desgosto e na merda eu sei onde ele mora uma bela casa a alguns quilometros nao tem problema e eu nao tenho pressa caminho ate chega na sua rua pouco movimentada e escura em alguns pontos em um deles eu espero uma movimentacao e depois de algum tempo ela acontece um carro branco que nao sei o modelo mas deve custa mais que 60 mil para na frente do portao é agora me movo sorrateramente e entro sem ser percebido o portao se fecha

nao tenho armas terei que acha alguma coisa no patio ou na cozinha nao quero feri inocentes mas ele eu vo mata eu juro pelo meu pai

a porta dos fundos ta aberta e por ali entro sem alarde como um assaltante profissional acabei de descobri minha vocacao na sala um barulho de tv alto em um programa sobre dinosauros so pode ser ele entro lentamente dentro da cozinha pra pega uma arma e acho um martelo de amacia bife é perfeito

volto minhas atencoes pra sala e o canal continua o mesmo passo a passo me aproximo e quando to quase entrando a luz acende fico imovel começa uma conversa no interior do comodo eu paro de respira por alguns segundos e ouço alguem vindo na minha direçao preciso ter um raciocinio rapido se for a mulher ou o filho nao faço nada saio correndo se for ele acerto no meio da cabeça é ele acerto o golpe em cheio e mais um ele cai no chao desacordado eu tento sair correndo e escorrego tomo um tombo dexo cair o martelo levanto e disparo pra fora tiro forças do alem e da minha adrenalina pra pula pelo portao nao me acham mais

missao cumprimida tomara que ele esteja morto e foda se eu vira um foragido nao vao me acha eu vo embora do pais amanha mesmo agora ja sei a vida que eu quero vive

apenas mais um natal

a mesa farta a familia reunida a tv ligada na globo como objeto de figuraçao e aquele calor infernal

os mais velhos bebem e bebem muito cerveja caipirinha whisky rum conhaque batidas capetas

os pequenos nos sucos ou refrigerantes e na espuma da cerveja no açucar da caipirinha no golezinho de schnaps devidamente fornecidos debaixo dos panos pelo vo

ate as 10 da noite estao todos alcolizados incluindo os menores de 12 anos é mais ou menos nessa hora que meu tio nos chama pra dar uma volta na rua pra joga conversa fora e pro nosso azar bem na hora que o papai noel passou ali e deixou os presentes

quem sabe no ano que vem agente ve ele

a mae diz que foi o bom velhinho quem trouxe a bicicleta que o guri pediu mas fica braba se o filho nao agradece pelo presente

a festa segue e o pai sentado em um canto so faz figuraçao todos sabem que eles tao se separando menos a criança a pobre criança mas isso hoje em dia é normal vai fica tudo bem

mas la pela meia noite encosta um del rey do outro lado da sua e da carona salta ele um papai noel magro e engraçado chega chegando senta na cadeira de balanço e la vai a piazada pula no colo dele ouvi palavras sem sentido ‘nao to te entendendo’ fala o mais velho dos pequenos

o bafo de cachaça dava inveja ao dono da casa e as historias de carrocinha tinham ingredientes de psicodelia era um papai noel drogado que ja causava desconforto um sentimento minimo perto do que estava para acontece

aquele que era pra ser o bom velhinho sumariamente tiro uma arma do bolso e mando os homens encostarem na parede as mulheres choravam

o saco do papai noel foi se enchendo de todos os presentes do fatidico amigo secreto so fico a listinha nem a bicicleta ele deixo pra tras quando volto o del rey pra lhe busca

alto la

correndo com um 38 na mao o avo nao pensou muito antes de descarrega o pente nos peitos do homem que lhe arruinou o natal seu comparsa nao prestou socorro pelo contrario canto pneu e foi embora

o papai noel é ladrao disse o menor dos netos
o vo mato o papai noel disse o outro

pelo menos os presentes estavam todos ali intactos
recolheram eles e voltaram pra dentro de casa ja estava começando a missa do galo

marginais apenas

23 de novembro rio de janero brasil

jardel o criminoso estava escondido nos confins da favela
era o homem mais procurado do brasil e o numero um do rio de janero
seu crime o trafico

capangas o havia abandonado e hoje jardel estava sozinho nao tinha comida passava necessidades fazia coco no mato
a mais de cinco dias sem toma banho nada lembrava o moço esbelto que fazia as menina perde o folego

entao jardel me diga se o crime compensa
que vida é essa que voce vive mas nao pode vive
e sua conciencia os milhares de jovens viciados por drogas que passo na suas mao

derepente a policia invadiu o morro por helicopetero munida de odio vingança e lansa chamas

foi a morte mais violente que jamais havia sido visto
jardel queimava e toda vez que pegava fogo jogavam se baldes dagua e se apagava o fogo e novamente o fogo era ateado uma cena terrivel

me diz jardel o crime compensa olha o sofrimento
tinha crianças ao redor eles olhavam aquilo e pensavam nossa senhora

jardel foi amarrado um dos seus braços na arvore e o corpo no helicopetero que começo a subi ele gritava de dor sim seu braço foi arrancado assim de forma nefasta e violenta

o sangue que jorrava acometia de dor jardel que gritava pedia por clemencia
nao havia essa possibilidade

de cima de mais de mil metros ele foi arremesado direto ao chao e de la jamais levanto