EU COMI O AMOR

eu não tenho medo de morrer

minha vó me disse isso enquanto fazia carinho na barriga da cadela com uma mão e pegava uma batata frita com a outra a melhor batata frita do mundo diga se de passagem ela frita tira da panela deixa secar e depois frita de novo fica muito crocante

nao sei se é uma afirmação válida pela convenção do uso das palavras a qual abomino então posso afirmar sem medo de ser feliz assim como minha vó não tem medo da morte a vida é crocante que nem essa batata frita

ela seca algumas vezes o nosso coração e até dá um certo desespero imensurável que faz a gente pensa que tá tudo perdido e que não tem outro caminho pra ser seguido aquela história de que nós somos responsáveis pelas nossas escolhas e talvez até hoje eu tenha escolhido tudo errado mas calma tem que botar na banha de novo e esperar chegar no ponto

mesmo assim ainda não tá pronto essa mesma batata crocante só fica deliciosa depois que minha vó coloca sal e coloca muito sal capaz de entupir as veias da metade da população da pequena cidade onde ela mora mesmo assim não o suficiente pra entupir as veias dela e nem da cadela que eu sei que ela dá comida pra ela

eu pensei então que cada batata frita merecia um nome próprio e enquanto mordia e mastigava dizia adeus zuleide tchau roberta até mais ver samanta você é muito especial marta é nessa hora da despedida que vem a coragem pra abrir o coração e dizer aquelas coisas bonitas que estavam guardadas às sete chaves e a gente com vergonha de falar pura bobagem eu te amo debora

a batata frita dá sede ou o excesso do sal provavelmente mesmo assim não me levanto pra me servir de bebida eu falo pra vó pra ela não se preocupar que ela não vai morrer não antes de terminar sua missão na terra eu falo como um messias que veio trazer luz e sabedoria ela me ouve atentamente e concorda como que esperando eu dizer qual é a missão

na verdade ela ta concluída porque não consigo imaginar alguma coisa mais importante do que criar uma família dar amor pros filhos e pros netos e ver todo mundo bem tirando o filho que morreu mas não é culpa dela então eu penso na batata frita e talvez seja a hora de abrir uma grande lanchonete e vende essa batata e mostra pro mundo como ela é boa

mas não essa batata é só nossa pra comer ela você precisa entrar na     minha família

eu tento pensar em quantas vezes a vó fez a batatinha pra mim quantas vezes ela me disse no telefone que a batatinha tava esperando e quantas vezes eu falei que era a melhor batata do mundo e no final só cheguei em uma conclusão

vó eu te amo igualzinho sua batata frita

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s