amor nos tempos da colera

num dia desses de chuva molhada muito vento cheio de gente gripada pelos canto todo mundo encasacado e se fosse possivel coloca uma estufa no planeta terra é o que devia se feito ta la os mendigo batendo quexo na calçada voce de meiao de futebol por baxo da calça e todas tentativa desesperada pra atenua o frio

tudo em vao voce sabe que nao tem jeito so rezando pra esse dia acaba de uma vez eu preciso do verao eu to desesperado eu quero dormi pelado eu quero mulheres de biquini eu quero cerveja gelada caipirinha eu quero mulheres de saia meu deus tem uma mulher de saia uma potranca dona de um rabo de respeito minha filha voce nao sente frio cheguei logo falando sei que nao é um bom inicio de conversa azar

la no canada peguei frio bem pior

meu deus ela é escrota e nao merece nem mesmo uma virgula o melhor é sai daqui e nunca mais ve essa babaca arrogante asquerosa mas olha as perna torneada olha essa coxa o tamanho dos peito vamo da mais uma chance

frio mesmo peguei na islandia

é claro que nunca fui pra islandia mas quero ve o que essa churanha vai fala agora tudo aquelas gelera aurora boreal e o caralho

adoro

talvez ela foi longe demais nessa hora parei de raciocina ainda mais olhando aqueles olho verde

eu acho que te amo
eu tambem te amo
mas eu nao tenho certeza eu so acho
eu tenho certeza
voce é linda demais
sao seus olhos
voce é uma deusa
brigada
vamo pra minha casa
mora onde
vamo pro motel
onde moras
conheço um motel muito bom
perto da tua casa
perto daqui
aqui é perto da minha casa
vamo pra tua casa

fomos

uma mansao um palacete um castelo uma fortaleza ou apenas ‘drikas home’ pra quem da check in eu quero é joga meu celular fora e mora dentro dessa morena recebe mais resposta escrota nao me importo tomo ate vinho se for o caso pra parece culto escutando musica classica mozart e betoven artistas conteporaneos como wagner e villas boas aprecio o que ha de mais inovador no mundo moderno e principalmente o que voce tem no meio das pernas mulher

estava tudo perfeito entre nos porem o frio nao dava tregua sim continuava gelido um inverno fora de hora e eu desconfiado tem alguma coisa errada so pode cada dia a saia dela ficava mais curta daqui a pouco vo encontra ela na rua e vai ta despida a humanidade precisa estuda esse biotipo pra tenta acaba com a hipotermia mas é uma coisa tao contagiosa que eu mesmo to de bermuda e chinelo de dedo e to sentindo calor sera que to com febre sera que to com ebola eu fiquei apavorado e tive que pergunta pra ela

o que voce acha da gente casar
o que voce acha da gente transar me respondeu sem pestaneja
mas de novo a gente so faz isso
eu so quero sexo apenas sexo
eu so quero amor apenas amor
entao procura outra
mas eu quero voce
preciso ir embora to com frio

ela sumiu o vento bateu e meu coraçao gelou

procurei ela por semanas acho ate que mudo de endereço pra quem era tao segura de si achei tudo muito estranho qual é dessa menina parece uma louca psicopata começo a faze calor e eu continuava esperando ela finalmente era verao muitos graus na rua pessoas suando e eu admito um pouco desesperado e teve um dia que fiquei 48 horas na frente da porta dela eu preciso dessa mulher e finalmente veio ela numa temperatura infernal vestindo casaco de pele agora era loira isso nao é normal e nao teve jeito cheguei do lado dela e perguntei voce nao ta com calor

la na australia peguei calor bem pior

Anúncios

4 comentários em “amor nos tempos da colera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s