carta branca com samuel rosa

recebi para um bate papo o cantor do skank samuel rosa talvez ja tenha entrevistado ele antes nao to lembrado

magno
ola samuel

samuel
oi magno

magno
tudo bem com voce

samuel
sim tudo bem

magno
to achando que ja te entrevistei

samuel
nao to lembrado

magno
nem eu

samuel
essa porra da maconha

magno
esse skank

samuel
essa cocaina

magno
essa heroina

samuel
esse opio

magno
entao me diz como vao as coisas

samuel
ta tudo bem

magno
fico chateado que chamaram o jota quest pra toca na inauguraçao do minerao reformado

samuel
chateado nao mas fica uma pontinha de ciumes aquela inveja branca a inveja boa

magno
aham

samuel
afinal quem nao sonho em ser um jogador de futebol

magno
mas era a banda de abertura o rogerio flausino nao viro jogador

samuel
é mesmo desculpa

magno
aquela musica que fala ‘eu quero te prova’ é em qual sentido

samuel
canibalismo

magno
poxa

samuel
é mesmo quem diria neh

magno
eu sei que voce adora futebol o que achando dessa copa no brasil o andamento das obras

samuel
acho que é uma grande oportunidade pro nosso pais se mostra pro mundo e acredito que faremos uma grande copa a parte triste é que sabemos que ha grandes desvios de verba uma verdadeira farra com o dinhero publico o dinhero que sai do nosso bolso

magno
e o ronaldinho no galo

samuel
ta bem ne

magno
agora o felipao vai chama ele

samuel
provavelmente mas graças a deus veio o felipao ne porque o mano menezes com todo respeito fez um bom trabalho no corinthians no gremio mas nao é treinador de seleçao ainda nao pelo menos

magno
brigado eu preciso toma banho

samuel
sem problema eu vo contigo

magno
sai fora

samuel
zoeira

tanto sangue derramado

a grama nao crescia em volta daquela casa maldita tamanho odio saia de dentro daquelas janelas e portas quase sempre trancadas

o velho morador vivia em eterno luto pelo seu filho que foi brutalmente assassinado enquanto pescava por um grupo de jovens que o confundiram seu sangue escorreu pelo rio e mancho tudo pintando a agua de vermelho

o corpo nunca foi encontrado o unico jeito de comprova que era sangue de seu filho foi bebendo aquela agua depois cortando seu braço e misturando o proprio sangue com o liquido que guardava dentro da termica o gosto era o mesmo

agora o desejo de vingança dominava sua vida porem nao sabia nem mesmo quem havia cometido tamanho atentado na duvida matou todos

o velho era um homem vigoroso e foi ficando cada vez mais forte ate que matou toda a vizinhança incluindo alguns que moravam muito longe

depois de cada assassinato ele sentia que ainda nao era aquela pessoa a mesma sensaçao mais de 50 vezes incluindo tiros a sangue frio nos seus melhores e unicos amigos

meses depois de nao encontrar mais nenhuma pessoa em seu caminho ele ficava preso dentro de casa enfraquecido a cada hora solitaria ate que ouviu alguem caminhando do lado de fora

pego o revolter e abriu a porta e o sorriso daquela moça lembro sua mulher falecida a tantos anos a menina estava perdida procurava por joao sim era o nome do seu filho que nem o cadaver encontrou pra enterra

venha aqui disse ele e entraram na casa

qual seu nome
luisa
conhecia o joao da onde
da vida
mas agora ele ta morto
dizem que nao
quem diz
os unicos ainda vivos
onde eles estao
longe
me leve ate eles
nao posso
por favor

luisa tirou uma faca debaixo do vestido e cortou sua propria garganta

o velho chorou pela primera vez na vida e tambem tirou sua vida

o sangue de ambos escorreu ate a grama e la desapareceu

tia da limpeza

o luxo traz prazeres mas uma temporada dentro de um camping precario tambem tem seu valor

fugimos do meio do mato onde so chovia e se usava muita droga rumo ao litoral em pleno 31 de dezembro parando no caminho pra leva o dono do carro no hospital e abandonando ele la mesmo a deus dara

chegando na praia pouco antes da virada do ano a questao era onde se hospeda ja que pousadas nao tinham mais quartos disponeiveis e qualquer lugar que ainda tivesse vaga seria caro demais pro nosso orçamento por isso nos instalamos naquela espelunca e montamos a barraca

aquilo que chamavam de camping na verdade era o patio da casa de um senhor com um puxadinho que chamavam de cozinha pros hospedes e um anexo denominado banheiro e foi ali que me encaminhei pra toma meu banho

nao levei toalha pra me seca porque a minha havia sujado de sangue e estava completamente nojenta uma outra historia que nao vem ao caso o fato é que a mulher do dono do lugar fazia a limpeza de um box quando adentrei o espaço

ela me disse que eu podia toma banho e na minha inocencia entendi que ela sairia do banhero nao foi o que aconteceu enquanto eu me lavava ela continuava atras da porta pensei em convida la pra entra debaixo do chuveiro mas achei melhor ficar calado

quando desliguei aquela agua gelada imaginei finalmente que ela sairia ate porque nao tinha nem toalha pra me cobri nao foi o que aconteceu abri a porta pelado e ela me fitou com olhos sedutores

acenei com a cabeça como quem dizia voce me viu nu agora é minha vez e nao foi preciso palavras porque a senhora instantaneamente tiro toda sua roupa

nao havia sequer porta na entrada do banhero portanto a qualquer segundo outra pessoa poderia dar de cara com a gente faze sexo ali era perigoso mas eu gosto do perigo

a tranza foi intensa e logo os gemidos contidos se tornaram verdaderos berros de extase com certeza todos ouviam ate mesmo o marido dela nao paramos

passamos a virada ali mesmo copulando enquanto os fogos estouravam la fora meu membro causava orgamos la dentro e aquele vai e vem danado parecia nao ter fim

usei a tia da limpeza como se fosse a ultima mulher do mundo e posso dize que ela fez o mesmo comigo tirando o fato que eu so um homem