um delirio coletivo

certa vez fui em uma festa onde tudo era envolto de misterio

para chega ate o local nao se sabe como chegamos era um galpao escuro obscuro e desconhecido por todos a noite por sua vez estava amarelada

preciso admiti que nunca vi tamanha selvageria como dentro daquele lugar nao por acaso quando entrei foi como se as fantasias mais nefastas estivessem se libertando e tinha mina perdendo a linha literalmente doidona do acido agente tenta aproveita a situaçao nessa hora é o que eu pensava

os drinks a bebida eram todos por conta da casa e haviam depositado muito boa noite cinderela em todos os liquidos para que ninguem jamais lembrasse do ocorrido

nesse momento voce pergunta mas entao magno como voce esta falando isso tudo como voce se lembra nao sei a resposta apenas sim

a musica misturava batidas envolventes intimistas com muita perversao e sexualidade voce nao acreditaria naquelas cenas porque mulheres rastejavam no chao como se fossem centopeias e nos vidros ja todos esfumaçados do calor dentro respiravamos o ar da tranza

tanta droga reunida o ambiente era dividido por continentes e paises esperei um tempo na colombia usufruindo de cocaina na jamaica muita maconha na europa sinteticos quantidades absurdas de opio na africa

quando percebi haviam dezenas de corpos gente morta por todo canto e ninguem se importava apenas queriam mais droga e sexo e subversao

em um momento entao derepente as luzes acenderam e entraram pessoas vestidas de unha disparando tiros na cabeça de ovelhas sim tambem tinham ovelhas apagaram as lampada e nova escuridao

percebi que um relogio de parede nao marcava as horas mas sim a quantidade de prazer que havia dentro do galpao e marcava no maximo talvez fosse um termometro estava no maximo

ja tinha amanhecido mais de cinco vezes naquela noite e parecia ser apenas o começo o ritmo so acelerava e cada vez mais gemidos estouros tiros se ouviam

corpos se acumulavam por todo chao e um rio percorria por todo galpao composto por sangue e urina ate que uma barragem foi construida com cerca de 20 cadaver e tudo se acalmou por alguns minuto

ficou tao tranquilo e silencioso que aquela era a maior definiçao de paz que imagino que possa existi

Anúncios

8 comentários em “um delirio coletivo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s